Plataformas de e-commerce: qual o melhor tipo para o seu negócio?

Na hora de escolher uma plataforma de e-commerce você precisa se preocupar com algumas questões como criptografia de segurança para pagamentos, gerenciar estoque, estabelecer frete e adicionar benefícios. Independente do tamanho ou o tipo do seu negócio,  ter um site próprio possui mais vantagens do que depender de terceiros, como o Mercado Livre.

Por isso é importante identificar qual tipo de plataforma de e-commerce funciona melhor para o seu negócio. Otimizando o maior retorno de investimento (ROI). Por exemplo, se precisa criar um site do zero, se já tem um site no WordPress.

Nesse artigo vamos mostrar como algumas dessas plataformas conseguem se encaixar em negócios de pequeno, médio ou grande porte. 

 

Como descobrir qual a plataforma de e-commerce ideal para o meu negócio?

 

Plataformas de e-commerce

 

São diversas logísticas necessárias tanto para começar um e-commerce do zero quanto para melhorá-lo. Dessa forma, o primeiro passo é definir qual o seu produto (físico ou digital) e o tamanho do negócio, para estruturar todas as necessidades.

Com diversas extensões que facilitam a usabilidade, as plataformas de e-commerce permitem a edição de páginas especiais, como “módulo de novidades”, “mais vendidos” ou “compre também”, cálculo de frete, controle de estoque e relatórios de vendas. 

  • Suporte – É essencial diversos canais de atendimento com a plataforma contratada. Assim os problemas ou dúvidas são resolvidos, é o diferencial de um suporte do outro.

 

  • Formas de pagamento – A plataforma deve trazer meios de pagamento como subadquirente (intermediador do pagamento) e gateway (responsável pela solução do processamento, como o PagSeguro e o PayPal).

 

  • Meios de compra – É necessário analisar as diferentes formas de pagamento — como cartão de créditos, boleto e depósito bancário — e opções de benefícios como cupons de desconto e vale presentes.

 

  • Módulos de venda – As plataformas de e-commerce permitem a edição de páginas especiais, como “módulo de novidades”, “mais vendidos” ou “compre também”.

 

  • Usabilidades – É necessário adicionar categorias ou plugins para o cálculo de frete, controle de estoque e relatórios de vendas. 

 

  • Formato responsivo77,1% da população possui um celular e é importante ter um modelo de site diferente para cada plataforma e mobile friendly, tanto como celular, tablet ou computador. 

 

  • UX (User Experience) – A plataforma deve ser amigável ao usuário que pretende administrar sozinho ou ajudar nos níveis de complexidade para os funcionários de TI.

 

Tipos de plataformas de e-commerce

 

ecommerce

 

  • Open Source

O Open Source é um código aberto e gratuito, de fácil obtenção que consegue solucionar o problema de layout inicial. Mas é preciso contratar o serviço de hospedagem e comprar a URL para realizar a instalação. 

Apesar de não pagar uma mensalidade para uma empresa, é necessário contratar uma equipe de T.I. para fazer o gerenciamento inicial da plataforma e ajustar a segurança e performance do site. Após a implementação, é necessário ter uma equipe de suporte e atualizações para qualquer melhoria ou problema que possa ocorrer no e-commerce.

Inicialmente ela pode parecer mais barata, mas a manutenção pode sair cara e a implementação do site pode demorar. Sobretudo, você ganha mais. 

 

  • Licenciada

As plataformas licenciadas são parecidas com as Open Source, só que nesse caso você compra um código. Por pagar por ele, geralmente já vem customizado e algumas personalizações juntos.

Ainda assim, você precisa contratar uma equipe de T.I., para gerenciar a plataforma interna e as páginas do e-commerce. Em ambos os casos, o que se compra é o front-end (o site externo). Por isso precisa-se de profissionais para instalar um back-end (parte por trás do site, em que você customiza o conteúdo).

 

  • Software as Service (SaaS)

A Software as Service (SaaS) é um dos modelos de plataforma online mais usados pelos lojistas. Conta com uma rápida implementação e baixos custos de manutenção. A implementação varia de 3 a 6 meses.

Ela é desenvolvida por uma empresa específica nesse serviço, necessitando apenas de um pagamento mensal. O valor geralmente é calculado sobre o faturamento do negócio. Possibilitando acessar pelo próprio navegador de qualquer lugar, sendo necessário apenas internet.

Nesse caso, você terceiriza todos os serviços de gerenciamento de hospedagem, back-end e de layout. Contudo, é responsável por administrar a inserção do estoque, o controle de preços e as modificações do front-end (o design do site).  

 

  • Desenvolvimento Interno/Proprietária

Nesse modelo de criação, você e sua equipe são responsáveis por todas as etapas da implementação do site. Assim, precisa-se pensar na hospedagem, URL, código, funcionalidades,  design, conteúdos, páginas e toda a plataforma interna.

Esse modelo é recomendado para grandes empresas, que precisa ter o máximo de controle e customização do seu site. Esse modelo pode demorar mais tempo. Contudo, uma equipe de computação trabalhando junto da sua empresa, fica mais estratégico de fazer atualizações e solucionar eventuais problemas. 

 

Quais são as plataformas de e-commerce mais conhecidas? 

 

» WooCommerce

O Woocommerce trabalha muito bem com negócios de médio e pequeno porte. Ter um site no WordPress é pré-requisito, pois essa plataforma é uma extensão para colocar no seu site. As funcionalidades do Woocommerce são potencializadas com vários plugins que ele possui, como de AdWords, Paypal e cadastro de newsletter. 

 

» Magento

O Magento é uma plataforma muito conhecida e mais direcionada para grandes negócios. Já que, geralmente, necessitam de um suporte de rede e um armazenamento consideravelmente grande. Sobretudo, para mexer nessa plataforma é necessário ter noções de programação, pois a plataforma não é muito amigável para construir seu e-commerce. 

 

» Shopify

O Shopify permite menos funcionalidades embora sua usabilidade seja muito fácil e permita que o usuário crie um e-commerce muito rápido, de maneira responsiva e simples. As funcionalidades do Shopify são bem interessantes, permitem monitorar o estoque ou acompanhar a contagem de visualizações, tanto pelo site como pelo Google Analytics.  

 

» Wix

O Wix é uma das plataformas mais conhecidas, principalmente por ser tão fácil de usar (é só ir arrastando as usabilidades no design e ajeitando conforme você prefere). A forma de inserir os produtos para um e-commerce é muito simples também, permitindo criar uma loja em pouco tempo.

 

» Vtex

A Vtex é uma plataforma de e-commerce que, assim como algumas apresentadas, possui uma fácil usabilidade e que mantém uma atualização constante de serviços e plugins próprios. A plataforma possui um suporte ao usuário muito rápido, permitindo que qualquer erro seja corrigido rapidamente. Ela é indicada para grandes negócios, pois tem experiência com clientes como a Saraiva

 

Está interessado em desenvolver seu próprio e-commerce? Fale com o time da Ideia. Nós iremos indicar a plataforma ideal para o seu negócio, além de toda consultoria estratégica. Quer saber mais sobre nossas soluções para e-commerce? Acesse aqui.

Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário e aproveite para compartilhar nas redes sociais. 🙂